Quando a estatística se transforma em dor

Sammy Chagas
13 de abril de 2020
Share:

Parece filme de ficção científica, para outros uma guerra política para alguns coisas da China para um Só uma gripizinha.

Para mim era tudo isso até receber a notícia que a tia que eu mais amava estava morta, foi rápido em 12 horas o Coronavirus entrou no corpo da minha amada tia e a matou, sem chance de reagir, pois faltou UTI e respirador Mecânico.

Foi a partir daí que comecei a cair na real, que temos um inimigo invisível rodando pelas ruas da nossa Cidade e que muitos Teixeirensses estão ignorando esse inimigo.

Estabelecimentos comerciais abertos sem o mínimo de proteção, como tudo se fosse mais uma intriga política, ou mais um embate da esquerda com o povo do capitão. Eu queria tanto que fosse só guerra política a como eu queria.

Mas infelizmente não é, ele está vindo como um tsunami e pouca gente está acreditando , lotéricas, bancos , bares com filas e aglomerações enormes sem máscaras, amontoados um em cima do outro, graças a Deus ainda são pessoas amontoadas não são cadáveres.

Muito tumulto por causa de 600 reais, não avisaram que 600 reais não paga nem o caixão muito menos o funeral.

É triste e doloroso o que vou dizer, abram mãos do dinheiro e cuidem da vida.

Vai faltar comida? Os boletos estão vencendo?

A comida não vai faltar se formos solidários, dívidas se renegocia e muitos já estão abrindo essa lacuna para várias situações.

Você pode até achar que estou sendo sensacionalista, mas olhem para o mundo, outro detalhe estamos num período chuvoso, propício para o vírus.

Onde quero chegar?

Se Teixeira de Freitas e outras cidades se comportarem como nada estivesse acontecendo o pior pode acontecer.

Qual é o problema de não usar máscara?

Porque não manter a distância entre um e outro?

Porque comerciantes insistem em abrir e não protegem nem seus colaboradores e nem clientes.

Se afroxarmos poderemos perder essa batalha e um determinado momento um caixão vai está instalado no centro da sua sala.

É muito simples, usem mascaras, lave as mãos, só saia se for necessário.

Economia se recupera a vida não.

Se afroxarmos nessas regras, seremos alvo fácil para esse inimigo invisível, que lhe colocará na estatística da dor.

Aos políticos e empresários tirem o dinheiro do foco, coloquem a vida como foco, porque o inimigo já está instalado e não estamos vendo.

O novo Coronavirus nos da essa possibilidade de escolha, viver ou colocar em risco a nossa vida e a das pessoas.

Uma praia calma de maré muito rasante e mar silencioso pode correr, um tisuname está a caminho.

Ainda há tempo de correr para o alto e depois descer para concertar o estrago, porque não existe Vitória sem dor em uma crise como essa.

Quero meus amigos e coroas vivos.

Por

Sammy Chagas

Compartilhar: