BahiaNa Cara

Mais de 340 mulheres apanharam em Teixeira de Freitas

By 22 de julho de 2021 Nenhum Comentário

Chegou a hora de meter a colher em briga de marido e mulher…

Uma informação que deixa a cidade de Teixeira de Freitas, envergonhada foi divulgada pelas autoridades do município. Motivo este que levou a rede de proteção a mulher e combate a violência contra a mulher, declararem guerra aos agressores, com a otimização da rede de enfrentamento a violência contra Mulher.

347 Mulheres buscaram o regime de medida protetiva em Teixeira de Freitas, o que acendeu um alerta para autoridades, onde o numero de mulheres que estão sendo violentadas pode ser bem maior e colocar a cidade no quadro negativo a nível nacional, sabendo que muitas das vezes, a mulher violentada , é intimidada pelo agressor, para ficar calada.

Quem é a mulher que esta sofrendo violência neste exato momento ? se voce sabe, denuncie ligue 180 ou 190.

Quem são os homens covardes e criminosos que estão pelas ruas da cidade ?

Um evento na câmara de vereadores de Teixeira de Freitas, na manhã deste 22 de julho, protagonizado pela Policia Militar da Bahia, por meio da 87 CIPM , que tem em seu comando o Cel Anacleto França, deu um pontapé inicial, para coibir a violência contra a mulher no município. Participaram do evento diversas autoridades, entre elas os Juizes de Direito Dr Argenildo Fernandes, Dr Marcus Aurelius e o Juiz responsável pela segunda vara crime Rodrigo Quadros. Representando o poder legislativo, os vereadores, Luizinho , Luciano Sales e Bruno Barbosa e Ailton Lacerda. O presidente da OAB subseção de Teixeira de Freitas, Dr Daniel Morais também participou do evento.

A secretária de Assistência Social do município, representou o poder executivo, e anunciou oficialmente a Ronda Maria da Penha, que tem como ponto de apoio a unidade do CRAM, e já adiantou que em conjunto com a rede estará buscando apoio para instalar um abrigo institucional para mulheres em Teixeira de Freitas.

A articulação da rede de proteção a mulher, vai contar com disque denuncia, e amparo por meio dos mecanismos de proteção e punição dos agressores.

O botão do pânico como é conhecido também será implementado para casos de medidas protetivas, ferramenta que vai auxiliar a proteção das mulheres vitimas de violência. O dispositivo conhecido como botão do pânico tornou-se um aliado no combate à violência doméstica sofrida por mulheres. Quando acionado, em virtude de perigo iminente de agressão, o equipamento emite um alerta para que a vítima seja socorrida.

Órgãos como a Policia Militar, Centro de referencia e atendimento a Mulher, delegacia da Mulher, Poder judiciário através da segunda vara crime, e o braço de combate da policia militar, que é a ronda Maria da Penha, estarão unidos e combatentes para proteger as mulheres e colocar na cadeia os agressores.