Na Cara

Justiça nega liminar que obrigaria seleção a usar camisa 24

By 10 de julho de 2021 Nenhum Comentário

 

Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A Justiça do Rio negou o pedido de liminar do Grupo Arco-Íris de Cidadania que cobrava a adoção, por parte da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), da camisa de número 24 durante a final da Copa América, neste sábado (10). O Brasil enfrenta a Argentina no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, às 21h, na disputa pelo título.

Na decisão, o juiz Caetano Ernesto da Fonseca Costa avalia que “não há omissão ou contradição a serem sanadas”. O magistrado entende ainda que “o assunto da presença de homofobia ou não pela recusa ao n. 24 na camisa do jogador vai para muito mais além do jogo de hoje entre Brasil e Argentina”.

Convocado após a inscrição da lista inicial de 23 ateltas, o meia Douglas Luiz foi o 24º integrante do grupo, mas optou pela camisa 25.

A Ação Civil havia sido protocolada na última quinta-feira (8) pelo Arco-Íris , que acusa a entidade de homofobia, e cita que o número ignorado pela seleção brasileira é “historicamente relacionado ao homem gay no Brasil”. O grupo moveu uma primeira ação, que obrigou a CBF a explicar o porquê de o número não ter sido adotado, ao contrário das demais nove seleções do torneio. Com informações da CNN Brasil