BahiaNa Cara

Bares, reataurantes e similares estão pagando a conta dos abusadores

By 2 de junho de 2021 Nenhum Comentário

A situação do COVID 19 em Teixeira de Freitas, se agravou nos últimos dias, e os bares, restaurantes e similares estão pagando a conta, infelizmente porque alguns estabelecimentos da categoria, não estão nem aí para as regras além do protocolo sanitário ser muito flexível e sem punição para os infratores. Vamos aos pontos críticos na cidade.

Não existe uma campanha eficiente de conscientização, tem uma movimentaçãozinha aqui, ali, mas sem efeito na prática.

Não existe uma mobilização em massa dos órgãos nas ruas para abordagem da população.  Ora vão dizer que tudo isso é papel da fiscalização,  porém devemos  entender que a pandemia é uma excessão a regra, onde todos devemos ser soldados e fiscalizadores.

Existem estabelecimentos que estão em outro planeta, que aglomeram, pintam e bordam e os frequentadores se dizem até da ” alta sociedade”, porém são burros com dinheiro no bolso ou algum mero poder na cidade devido as influências, oportunizadas  pelo dinheiro, claro que não posso deixar de incluir as festinhas clandestinas de alguns da socialite e dos guetos da cidade.

Tem o terminal rodoviário urbano, que parece estar em outro planeta, ( passa ali sabado).

Tem estabelecimento comercial que não está nem aí,  pra nada , com máscara, sem máscara, o importante é vender, ( deveriam todos eles ofertar a compra casada, vender a urna funerária junto com a compra), enfim, o comércio tá uma bagunça, vários estabelecimentos descumprindo as regras. Porém temos que admitir que muitos estão cumprindo as regras e estão pagando o preço devido aos que saem da linha.

Não adianta nada Teixeira fazer o dever de casa, se as cidades  vizinhas, só estão preocupadas em adquirirem ambulâncias para enviarem seus pacientes para Teixeira .

Não vamos chegar aos 75% de lotação de UTI nunca, se a regra não mudar, se a conta da lotação das UTIs, mesmo que pactuadas não forem colocadas na conta de cada cidade. Devemos atender sim, claro que devemos, mas essa conta estátistica não pode ficar só com Teixeira de Freitas, as coisas precisam ser mais claras.

O Governo do Estado e Federal, precisa dar suporte e subsidiar os sistemas de saúde das pequenas cidades, para evitar superlotação da rede de alta complexidade, além de oferecer a dignidade do cidadão ser atendido no seu próprio município.

Enfim, não basta apenas editar um decreto, na prática é preciso, mudar muita coisa.

Rever a forma de fiscalização, com foco não só na eficiência mas também na eficácia.

Todo mundo tem que arregaçar as mangas e entrarem nessa guerra contra o COVID19

O protocolo dos estabelecimentos precis sere mais rígidos, inclusive a classe deve ajudar a fiscalizar.

O terminal rodoviário urbano é o retrato de como na cidade está para o COVID19, alguma coisa deve ser feita.

Sanatização dos espaços públicos, e como regra para grandes estabelecimentos.

Ou seja, estamos pagando o preço,  porque só estamos lendo, escutando e não estamos fazendo nada.

Ou melhor, estamos pagando o preço pelo erro do vizinho.