Na Cara

Video: Populares Colocam Fogo em Veículos de Terceirizada da Veracel alem de Colocarem Vigilantes pra Correrem

By 3 de julho de 2019 Nenhum Comentário

Está circulando nas redes sociais vídeos onde populares colocam fogo em veículos de empresa de segurança terceirizada da Veracel.

O conflito entre populares da zona rural e empresas de segurança terceirizadas pelas empresas celulose no Sul da Bahia, não é tão incomum.

São vários impasses que levam a população da zona rural reagirem de tal forma, que podemos avaliar como os efeitos colaterais dos impactos sociais, provocados pela monocultura do plantio de Eucalipto.

Podemos citar alguns desses efeitos, que são:

O êxodo rural, onde as famílias vendem suas propriedades por um valor razoável e migram para os centros urbanos em busca do futuro prometido, e acabam sendo surpreendidas pelo capitalismo selvagem, não conseguem êxito econômico e acabam migrando para as periferias e entrando na estatística de pessoas com vulnerabilidade social.

Outro fator é a prática de atividades toda como ilícitas por alguns popularesque resistem em saírem das regiões de plantio, e acabam praticando crimes contra o patrimônio das empresas ou terceirizados, a exemplo do corte ilegal de plántio de Eucalipto, a prática de fornos de carvão para produção de carvão para empresas que aproveitam da situação, a exemplo de uma grande operação na região que ficou conhecida como o combate à máfia do carvão.

Temos também a questão indígena onde aldeias estão praticamente ilhadas pelas florestas de Eucalipto que segundo o Livro “Além do Eucalipto, do saudoso Padre José Coopmans, coloca os indígenas em estado de suicídio cultural e social.

Também podemos citar, as comunidades rurais que insistem em permanecerem nessas regiões, com o cultivo de produtos chamados de produtos da agricultura familiar, algumas famílias até recebem incentivos dessas empresas pra subsidiar determinadas culturas.

Temos também diversos acampamentos do MST instalados em áreas dessas empresas, porém convivem pacificamente até serem tomadas decisões finais para que sejam assentados, dizemos pacificamente se a linha de conflito não for atingida.

Agora temos o mais recente efeito do que vai além do Eucalipto, um golpe rasteiro e certeiro do capitalismo selvagem, que é a fusão das empresas de celulose, onde diversos contratos foram rompidos, demissões foram feitas, gerando insatisfação e desemprego.

Todos esses fatores citados acima, quando ofendem os interesses das empresas ou ofendem as comunidades rurais, levam a esse tipo de ação.

Claro que não pontuam os os danos ambientais que ocultos aos olhos da sociedade, são alarmantes.

Todos esses efeitos são tratados no Livro Além do Eucalipto, do saudoso Padre José, que pesquisou a fundo, e internacionalmente denunciou as práticas das empresas de celulose, que a cada dia que passa emprega mais tecnologia,amplia suas áreas na Bahia e desemprega mais pessoas.

Digo Bahia, porque no Espírito Santo, o governo puxou o freio limitando o plántio.