BahiaNa Cara

Teixeira sem Agua, Amapa sem luz

By 25 de novembro de 2020 Nenhum Comentário

Você pode até dizer que não tem nada a ver, porém os dois problemas citados tanto no Amapá quanto em Teixeira de Freitas geram transtornos a população que paga pela prestação do serviço.

O Amapá não estava preparado para tal incidente e a EMBASA nunca deu a mínima para resolver a situação que rotineiramente está acontecendo em Teixeira de Freitas .

Qualquer problema que acontece, no sistema da EMBASA gera todo essa transtorno na Cidade, deixando as pessoas a mercê de um comunicado e mais nada. As autoridades de braços cruzados, a empresa pintando e bordando na Cidade.

Asfalto  nem adianta fazer, que dias depois chega a EMBASA quebrando tudo, desrespeitando o dinheiro dos impostos pagos pela população.

Não temos um plano  B, não temos um grande reservatório, não temos um sistema com tecnologia de ponta para prestação do serviço, é tudo na picareta, ou seja estamos reféns das picaretas da EMBASA.

Se acharem que estou exagerando nas críticas, imaginem, uma cidade inteira sem água, por causa de um único problema, que até agora só sabemos por comunicado, e a empresa comunica o que quiser, pois ninguém fiscaliza.

Temos água e não temos ao mesmo tempo, soa estranho, mas é verdade, chuva quase todos os dias e temos que viver essa situação, que está ficando comum em Teixeira de Freitas.

A tendência é piorar porque a única coisa que a EMBASA anunciou até agora, foi o novo contrato com o município para mais de décadas, e a interrupção do fornecimento que está virando rotina.

Pior vai ser, se a natureza der uma trégua, e o volume de água do nosso rio diminuir, afinal a captação é no curso do rio, absurdo isso.

A natureza tem toda razão até de interromper o fornecimento de água, pois não recebe da empresa um centavo pela água retirada do rio, não tem plano de preservação ambiental e nem de recuperação de nascentes.

Porque não temos um plano B ?

Outro fator que precisamos colocar em prática nas nossas casas e na construção civil da Cidade, é o início de um projeto de incentivo para captação de água da chuva, aí não estaríamos reféns na inabilidade da EMBASA.

Isso é uma vergonha