Saiba como destinar parte do seu Imposto de Renda para ações e projetos de defesa das crianças e adolescentes

Sammy Chagas
19 de maio de 2022
Share:

O procedimento é feito na hora de declarar, o valor destinado se limita a 3% do imposto devido e o contribuinte não arca com nenhum custo do próprio bolso.

Destinação de até 3% pode ser feita para os dois fundos, da Criança e Adolescente e do Idoso

Você sabia que pode ajudar crianças e idosos destinando uma quantia do seu Imposto de Renda sem gastar nada do seu bolso? Isso mesmo, você contribui, essa população é beneficiada e o valor é descontado do próprio imposto. Portanto, ao preparar os documentos para fazer a sua declaração,  você também pode se preparar para este gesto de cidadania.

A destinação de parte do imposto é possível para pessoas físicas e na modalidade de declaração completa, não sendo acessível na simplificada. O total também se limita a 3% do imposto devido, e o próprio sistema calcula, na hora, o valor máximo que o contribuinte pode doar.

Os beneficiados podem ser o Fundo Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fecad), o Fundo Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa (Fedpi), ou outro fundo municipal, desde que o município escolhido esteja apto a receber. O procedimento é realizado na hora de fazer a declaração e é muito simples.

Como contribuir
Para contribuir, depois de preencher a declaração completa, é só selecionar o fundo e colocar o valor, sendo que é possível destinar para mais de um (cada um deles pode receber até 3%). O próximo passo é gerar e imprimir o documento de arrecadação de receitas federais (Darf) e quitar até o dia 31 de maio, último prazo para entregar a declaração do IR.

Com isso, o fundo beneficiado receberá a doação e o contribuinte terá o referido valor subtraído do imposto a pagar, ou acrescido na sua restituição, dependendo de qual for a situação. No caso de restituição, quando ela ocorrer, o valor é corrigido pela taxa Selic.

A aplicação dos recursos é aprovada pelos conselhos que, por meio de um plano de ação, determinam onde eles serão investidos.Os destinados à criança e adolescente, por exemplo, são aplicados em programas de formação de conselheiros tutelares, financiamento de projetos de entidades, campanhas, seminários, ações na área de proteção e garantia de direitos dessa população.

Compartilhar: