Na Cara

Prefeito de Santa Cruz Cabrália pode Cair Novamente.

By 24 de junho de 2019 Nenhum Comentário

Na última quarta feira, véspera de feriado, a empresa  BRASILEIRO, da família do Deputado Federal Ronaldo Carletto em uma ação orquestrada abandonou o transporte coletivo no município de Santa Cruz Cabrália, colocando em seu lugar a empresa GWG TRANSPORTES E TURISMO LTDA.

A GWG, pertece a um ex-diretor do Sindicato Nacional dos Rodoviários e ex-vereador em Eunápolis, Adelson Cirilo, mais conhecido como Adelson do Alecrim. O personagem já foi acusado de ser “laranja” da própria EXPRESSO BRASILEIRO e atualmente comanda o transporte público de Eunápolis, cidade administrada por Robério Oliveira, cunhado do Prefeito de Santa Cruz Cabrália, que é irmão da Prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira.
Em consulta ao Diário Oficial do Município a reportagem apurou que não houve nenhuma licitação para a troca das empresas nos últimos dois anos pelo menos. Na quarta feira a fiscalização do município notificou a GWG TRANSPORTES E TURISMO LTDA para que paralisasse as atividades em decorrência da ausência de vínculo desta empresa com o município, ou seja, a operação entre as empresas não teria sido autorizada pelo município.

As informações até o momento apuradas apontam para a possibilidade de que a empresa da família do deputado teria vendido ilegalmente a concessão do serviço de transporte no município de Santa Cruz Cabrália para a empresa GWG TRANSPORTES E TURISMO LTDA, e teria programado a troca dos serviços para a véspera do feriado prolongado da última quinta feira, em uma estratégia para impedir que as autoridades municipais adotassem providências para impedir o sucesso da transação ilegal, porque para legalidade precisa se de um processo licitatório.

A manobra causou a revolta de motoristas que fazem o transporte alternativo por meio de vans, o que teria provocado a ação do município. No entanto, populares, inclusive representantes da comunidade indígena, exigiram do prefeito municipal, Agnelo Santos, que fosse permitido o tráfego da nova empresa.

Até o momento não obtivemos confirmação se o prefeito cedeu ao apelo dos populares e permitiu que os ônibus da GWG TRANSPORTES E TURISMO LTDA trafegassem pelo município transportando passageiros, concedendo ilegalmente, sem licitação, o serviço de transporte público coletivo, ou, se a empresa está operando na total clandestinidade. O fato é que aBRASILEIRO, aproveitou-se da inércia, talvez proposital, do município, e abandonou suas atividades na cidade, e, desde então, a GWG TRANSPORTES E TURISMO LTDA está operando o serviço de transporte coletivo sem licitação e em descumprimento de uma notificação da Secretaria Municipal de Infraestrutura.

Portanto, o envolvimento da empresa do Deputado Ronaldo Carletto está no centro das ilegalidades apuradas.
O estado físico dos veículos da empresa GWG TRANSPORTES E TURISMO LTDA, conforme descrito por usuários consultados, é muito inferior aos veículos que vinham sendo disponibilizados pela EXPRESSO BRASILEIRO, e, nenhum veículo passou por vistoria das autoridades municipais, o que dá ao caso um sinal de que além da fraude, a população é que será prejudicada com a mudança.
É curioso que nas duas últimas eleições o Deputado Ronaldo Carletto tenha sido aliado de primeira hora do prefeito de Eunápolis, o Robério Oliveira, que é padrinho político do prefeito de Santa Cruz Cabrália, Agnelo Santos. Além disso, Adelson Cirilo foi apoiador de Larissa Oliveira, filha de Robério e sobrinha de Agnelo Santos na última eleição para a Assembleia Estadual, o que demonstra uma grande familiaridade entre todos os envolvidos. Portanto, é possível que a autuação realizada pelo município seja revertida e usada apenas para esconder possíveis acordos políticos e financeiros com a participação do prefeito. Ou seja, a resistência do prefeito parece ser jogo de cena para justificar a assunção de uma empresa para exploração de um serviço público sem licitação, o que seria um complicador para um gestor que já foi condenado em segunda instância por improbidade administrativa junto com Robério Oliveira, e enfrenta acusações graves, também em conjunto com seu padrinho político, na operação fraternos da Polícia Federal.

Especialistas consultados afirmaram que, se confirmada algum tipo de cumplicidade do prefeito com a operação, as ligações entre os Oliveira e os Carletto podem entrar na mira das autoridades, uma vez que a burla à licitação poderia influenciar para a interpretação de que um gestor investigado por crimes relacionados à administração pública continua a se valer do cargo para praticar delitos semelhantes.
A cidade já tem sido alvo de uma polêmica com a tentativa de privatização da água. Recentemente lançou e em seguida retirou do ar uma licitação para o transporte da balsa, causando desconfiança entre vereadores que criticaram o fato em redes sociais.


Infelizmente não tivemos êxito em contatar os envolvidos até a publicação desta reportagem, por isso, deixamos em aberto para qualquer esclarecimento. Apenas um vereador local comentou a situação, mesmo assim sob pedido de sigilo, arrematando suas conclusões com a seguinte frase: “Pequenas cidades, grandes negócios”. Seguiremos apurando o caso.

Aguardamos o pronuciamento dos envolvidos e citados.