Na Cara

Mandarino diz que discutirá descriminalização de drogas: ‘Só combate não funciona’

By 28 de dezembro de 2020 Nenhum Comentário

O novo secretário de Segurança Pública da Bahia, Ricardo César Mandarino, disse nesta segunda-feira (28) que vai propor a discussão de temas como a descriminalização do porte e do uso de drogas. Ele afirma que, em sua gestão, pretende implementar ações para conscientizar os jovens sobre os malefícios de substâncias entorpecentes. Para Mandarino, políticas de caráter meramente repressivo já se provaram ineficazes ao redor do mundo.

“Nós vamos trabalhar em equipe, discutir estratégias. Vamos botar a cabeça pra funcionar de forma inteligente. Nós não podemos ficar reféns do crime organizado. Nós temos que pensar outras políticas, porque essa política de combate, violência, só violência, só violência, ela não funciona. A gente está vendo que não funciona em lugar nenhum do mundo. Os países que estão abrindo com outras perspectivas estão sendo muito bem-sucedidos. Veja o que acontece com Portugal. Portugal hoje é um país que menos consome maconha, baixou o consumo pra 10%, enquanto França e Itália, onde a proibição permanece, consomem mais de 20%”, afirmou durante cerimônia em que tomou posse no cargo, pela manhã.

Ao defender o seu ponto de vista, Mandarino mencionou o impacto provocado pelas campanhas antitabagismo ao longo das últimas décadas, quando o consumo de cigarro alcançou significativa redução em escala global.

“Eu não estou propondo, que fique bem claro, que a gente saia por aí liberando o uso de drogas… não é isso. Nós somos responsáveis, temos que trabalhar em cima da legislação que nós temos, nós não vamos prevaricar. Estou propondo um debate. Agora, ao lado do debate, nada impede que a gente faça uma politica de propaganda massiva em cima dos jovens para deixá-los constrangidos quanto ao consumo e drogas, como hoje a maior parte da sociedade brasileira se constrange quando pega um cigarro pra fumar”, explicou.

“Todos os nossos amigos que fumam, geralmente, fumam escondidos. Quando estão conosco num restaurante, saem discretamente porque ficam com vergonha. É isso que nós vamos criar. É essa mentalidade, essa visão”, acrescentou Mandarino.

No discurso de posse, o novo secretário também defendeu uma polícia mais humanista e eficiente diante de uma sociedade multicultural.

Além de Mandarino, a nova cúpula da segurança pública baiana será composta pelo ex-delegado-geral da Polícia Civil Hélio Jorge, que assumiu o cargo de subsecretário da pasta, e pela ex-delegada adjunta Heloisa Brito, que passa a ser a primeira mulher a comandar a Polícia Civil baiana.

A posse dos novos integrantes ocorre duas semanas após o então titular da SSP, Maurício Barbosa, ser exonerado por determinação do STJ (Superior Tribunal de Justiça). Barbosa foi alvo das 6ª e 7ª fases da Operação Faroeste, que investigação um suposto esquema de venda de sentenças no TJ-BA (Tribunal de Justiça).