Na Cara

É seguro pedir delivery em tempos de coronavírus?

By 13 de julho de 2020 Nenhum Comentário

Um estudo publicado na última semana na revista científica “New England Journal of Medicine” afirma que o novo coronavírus consegue sobreviver dias em superfícies. O tempo varia de acordo com cada material.

O vírus pode sobreviver, por exemplo, três dias no plástico e no aço inoxidável e 24 horas no papelão. Desse modo, algumas medidas de segurança e higiene precisam ser reforçadas ao receber uma entrega de restaurante ou supermercado.

“É seguro pedir delivery, mas assim que o alimento ou produto entra em casa a embalagem precisa ser imediatamente descartada”, diz a Dra. Raquel Muarrek, infectologista da Rede D’or. Segundo ela, a medida de higiene deveria ser realizada inclusive antes da pandemia.

Se a embalagem foi posta na pia da cozinha, por exemplo, o local também deve ser desinfectado.

O cuidado muda conforme o tipo de alimento. “A manipulação dos alimentos cozidos ou fritos são melhores para a diminuição de contágio do que os crus”, diz. “Não se sabe como uma salada foi manipulada e se teve a desinfecção adequada”.

Para a Dra. Muarrek, a entrega sem contato não é necessária porque, de todo modo, o cliente e o entregador deve priorizar a higienização imediata das mãos com água e sabão ou com álcool gel.

“O importante é não levar as mãos ao rosto. O mesmo vale após encostar em maçanetas, elevadores e portões, por exemplo”.

A pandemia de COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus, impulsiona os serviços de entrega.

Em Teixeira de Freitas quem segue o padrão de entrega com rigidez é a empresa Lord Restaurante, que tem como principal embalagem um sacola de papelão devidamente segura.