Dom Jailton de Oliveira Lino Celebra 35 anos de Vida Sacerdotal

Sammy Chagas
17 de dezembro de 2023
Share:

Na solene noite deste domingo, a Catedral Diocesana de Teixeira de Freitas Caravelas foi palco de uma celebração única, marcando os 35 anos de ordenação sacerdotal do Bispo Diocesano, Dom Jailton de Oliveira Lino. A comunidade católica, reunida na Catedral São Pedro, participou de uma missa que não apenas homenageou a trajetória singular de Dom Jailton, mas também incorporou as inspiradoras palavras de São João Calábria e a ressonância das palavras de Tiradentes, citadas pelo Bispo durante a homilia.

Em um momento marcante da celebração, Dom Jailton citou Tiradentes, expressando seu compromisso inabalável com sua vocação: “Se mil vidas eu tivesse, mil vidas eu seria sacerdote.” Essa declaração ecoou na catedral, lembrando a todos sobre a profunda entrega de Dom Jailton à sua missão espiritual, conectando o propósito sacerdotal com a coragem e determinação histórica.

Evocando a sabedoria de São João Calábria, Dom Jailton destacou a importância de ser um farol de esperança e caridade na comunidade, modelando sua vida sacerdotal com base na generosidade e no serviço desinteressado. “O sacerdote deve ser como um fogo que queima, que queima a si mesmo para acender os outros”, afirmou, ressaltando a essência do compromisso sacerdotal.

A celebração também foi pontuada por uma reflexão sobre outra máxima de São João Calábria: “Amar e fazer-se amar por Jesus Cristo é o que mais importa na vida.” Essa frase ressoou na catedral, lembrando a todos sobre a centralidade do amor na vivência da fé, uma mensagem que permeia a vida e a missão de Dom Jailton.

Ao incorporar as palavras de São João Calábria e a referência histórica de Tiradentes, Dom Jailton não apenas homenageou figuras significativas, mas também ofereceu uma visão iluminadora sobre a jornada sacerdotal. Que este aniversário seja não apenas uma celebração do passado, mas um renovado compromisso com os princípios que inspiraram e continuam a guiar a missão de Dom Jailton de Oliveira Lino na comunidade católica.

Compartilhar: